Nós usamos cookies para melhorar o nosso serviço. Ao usar o Em Forma, está a consentir à utilização de cookies. Aceitar Saber mais


Intestino Grosso

Talvez o intestino grosso não seja o órgão mais popular do nosso corpo.

Fala-se muito do coração, dos rins e do fígado até, mas pouco dos intestinos.

A sua função, contudo, é vital no organismo e fascinante, até!

O intestino grosso é a parte final do sistema digestivo.

A sua principal função é acolher, preparar e reter temporariamente os resíduos alimentares que sobram da digestão para depois os expulsar para o exterior.

Grosso modo, quando comemos, os alimentos passam da boca para o esófago, depois para o estômago, daí para o intestino delgado (onde é absorvida a maioria dos nutrientes e onde actuam os sucos do fígado – bílis – e do pâncreas – suco pancreático) e, finalmente, para o intestino grosso, onde chegam num estado semi-líquido.

Ao longo do percurso pelo intestino grosso, vai sendo absorvida uma boa parte dessa água dos resíduos, para ser reaproveitada pelo organismo.

Esta absorção, em conjunto com o muco segregado pelas glândulas intestinais, é que gera a consistência pastosa das fezes.

Intestino Grosso (Autor: TipsTimes)

Intestino Grosso (Autor: TipsTimes)

Além desta função de reaproveitamento da água, cabe também ao intestino grosso (ou melhor, às bactérias da flora intestinal) atacar para assegurar a decomposição de quaisquer compostos alimentares que não tenham sido previamente digeridos. Aliás, a flora bacteriana do intestino grosso tem um papel fundamental no sistema imunitário, por isso se costuma dizer que uma boa parte das defesas do organismo se encontra no intestino.

As bactérias, que se alimentam de nutrientes não aproveitados pelo organismo, não só impedem que outros micróbios nocivos se instalem no intestino, como sintetizam vitaminas importantes, como algumas do complexo B e também vitamina K, as quais são depois absorvidas pelo organismo.

O trabalho do intestino grosso não nos passa propriamente despercebido. Por vezes, sentimos os movimentos intestinais. Esses movimentos são de duas espécies: uns são ritmados e ocorrem nos vários segmentos do intestino, para misturar os resíduos e conseguir a absorção da água.

Outros são os movimentos propulsivos de contracção, que ocorrem em sequência ao longo do intestino para empurrar a matéria fecal até ao reto, onde fica acumulada até ser expulsa pelo ânus.

Componentes do Intestino Grosso

O intestino grosso tem forma cilíndrica, aspeto ondulado, um diâmetro de cerca de cinco a oito centímetros e cerca de 1.5 a 1.8 metros de comprimento! Dispõe-se em forma de uma moldura quadrada dentro da nossa cavidade abdominal e divide-se em três partes principais: o ceco, o cólon e o reto (que inclui o canal anal).

  1. O ceco, com cerca de 9 cm de diâmetro e 8 cm de comprimento, é a primeira parte do intestino grosso, onde desemboca o intestino delgado. Para cima, o ceco segue para a segunda parte do intestino grosso, o cólon. Para baixo, termina numa espécie de saco de onde sai o apêndice vermiforme.
  2. O cólon é a parte mais longa do intestino grosso e divide-se em cólon ascendente, transversal, descendente e sigma. É no cólon que se encontram as bactérias responsáveis pelo mau odor das fazes. O cólon ascendente (entre 15 a 20 cm de comprimento) é o lado direito da moldura que o intestino desenha dentro da nossa cavidade abdominal, subindo até perto do fígado. O cólon transversal (entre 30 a 60 cm de comprimento) segue da direita para esquerda, atravessando o abdómen de um lado ao outro. O cólon descendente (entre 20 a 25 cm de comprimento) é o lado esquerdo da moldura do intestino, descendo da parte superior do abdómen até à pélvis. Finalmente, o cólon sigma (entre 30 a 40 cm de comprimento), desenha na pélvis uma espécie de “S” em direcção ao reto.
  3. O reto (entre 15 a 20 cm de comprimento) é exatamente a reta final do intestino grosso e desce do cólon sigma até ao ânus, o orifício por onde sai a matéria fecal. O reto divide-se em duas partes: a ampola retal, parte superior, armazena as fezes até ao momento de serem expulsas. O canal anal, parte final do reto, com apenas dois ou três centímetros de comprimento, inclui os esfíncteres anais interno e externo que contraem e dilatam para regular a defecação quando chega o momento da expulsão das fezes.

Apesar da pouca importância que lhe damos, ninguém tem dúvidas dos resultados quando a actividade do intestino falha. Se os resíduos forem eliminados de forma demasiado rápida, a água não é absorvida pelo organismo e eles saem em forma de diarreia, podendo provocar desidratação no organismo.

Ao inverso, se os detritos demoram demasiado tempo a serem expulsos, gera-se a chamada prisão de ventre (obstipação), que causa sérios desconfortos físicos.

Num adulto, desde que entram na boca até serem expulsos pelo ânus, os alimentos/resíduos fazem um percurso de cerca de sete metros e meio!

Avalia este conteúdo
3.35/5 (95 votos)
Etiquetas: função do intestino grosso, intestino grosso
Um comentário sobre “Intestino Grosso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.