Nós usamos cookies para melhorar o nosso serviço. Ao usar o Em Forma, está a consentir à utilização de cookies. Aceitar Saber mais


Hipófise


Hipófise no Wikipedia
Hipófise (também denominada glândula pituitária) é uma glândula endócrina com cerca de 1 cm de diâmetro alojada na sela túrcica (A sela turca protege a hipófise, mas deixa um espaço bem pequeno para expansão) ou fossa hipofisária do osso esfenoide na base do cérebro. Está localizada abaixo do hipotálamo e posteriormente ao quiasma óptico, sendo ligada ao hipotálamo pela haste pedúnculo hipofisário ou infundíbulo, é envolvida pela dura-máter (exceto o infundíbulo). A hipófise é considerada uma "glândula mestra", pois secreta hormônios que controlam o funcionamento de outras glândulas, sendo grande parte de suas funções reguladas pelo hipotálamo. É uma glândula endócrina de dupla origem embriológica, pois o assoalho do diencéfalo sofre uma invaginação e forma a neurohipófise, enquanto o ectoderma do teto do estomodeu forma uma evaginação e origina a adenohipófise. Do ponto de vista fisiológico, a hipófise é dividida anatomicamente e funcionalmente em duas partes distintas: o lobo anterior (adeno-hipófise) e o lobo posterior (neuro-hipófise). A adeno-hipófise possui origem de células epiteliais, enquanto neuro - hipófise possui origem nervosa. Entre essas duas porções existe uma zona pouco vascularizada chamada de parte intermédia, praticamente ausente em humanos, mas bem desenvolvida e funcional em outros animais.É responsável pela regulação da atividade de outras glândulas e de várias funções do organismo como o crescimento (hormônio do crescimento - adeno - hipófise) e secreção do leite através dos seios (ocitocina - neuro - hipófise). Possui dimensões aproximadas a um grão de ervilha, pesando de 0,5 a 1 grama. Embriologia: durante o processo de formação na vida embrionária, observa-se que a parte distal e a parte intermediaria se originam da bolsa de Rathke (originada do teto da cavidade oral do embrião, ectoderma, o estomodeu) e que a parte nervosa se origina de uma invaginação do assoalho do terceiro ventrículo. Em seguida, as duas partes se aproximam e formam uma glândula aparentemente única. Como remanescente deste desenvolvimento embriológico, observamos a presença de folículos entre neurohipófise e adenohipófise, cuja função é ainda desconhecida. Histologia: Limite da neuro-hipófise com a adeno-hipófise Em fotomicrografia com menor aumento, se observa uma porção da pars distalis, uma porção da pars nervosa da neuro-hipófise e entre essas duas situa-se a pars intermedia da adeno-hipófise. A pars intermedia é, pelo menos parcialmente, uma glândula endócrina folicular. Pequenos folículos glandulares estão presentes. A pars nervosa corresponde à neuro-hipófise. É formada por fibras nervosas provenientes do hipotálamo, pituícitos (células da neuroglia) e por capilares sanguíneos. Não há corpos de neurônios na pars nervosa. A maioria dos núcleos observados nesta porção da glândula pertence a pituícitos.

Ver Hipófise no Wikipedia
Avalia este conteúdo
0/5 (0 votos)
Etiquetas: esfenóide, fossa hipofisária, glândula pituitária, hipófise, sela túrcica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.