Nós usamos cookies para melhorar o nosso serviço. Ao usar o Em Forma, está a consentir à utilização de cookies. Aceitar Saber mais


Glândula Suprarrenal

A Glândula Suprarrenal, também conhecida como glândula adrenal são consideradas glândulas endócrinas.

São de vital importância para a vida dos seres humanos.

São elas que apresentam a capacidade de regular o metabolismo do sódio, do potássio, da água e dos carboidratos assim como, as reações do corpo ao stress.

Chamam-se assim, pelo simples facto de se encontrarem situadas por cima dos rins embora as suas funções nada tenham a ver uns com os outros.

O Que é a Glândula Suprarrenal

Estas glândulas são dois órgãos que medem cerca de três centímetros de altura, cinco centímetros de largura e três centímetros de espessura.

No corpo dos humanos estas glândulas apresentam-se com formatos diferentes sendo que, a direita tem uma forma triangular enquanto a esquerda tem a forma de meia-lua.

Estas glândulas são as grandes responsáveis pela segregação de hormonas que vão dar capacidade ao organismo de dar resposta em situações de stress.

Glândula Suprarrenal (Autor: Michael Feldman, MD, PhD University of Pennsylvania School of Medicine)

Glândula Suprarrenal (Autor: Michael Feldman, MD, PhD University of Pennsylvania School of Medicine)

Esta resposta só é possível graças à síntese e à libertação dos corticosteróides como é o caso do cortisol e da adrenalina.

Estas, vão também estimular a conversão das proteínas e das gorduras em glicose fazendo diminuir a captação de glicose pelas células levando a um aumento na utilização das gorduras.

Anatomia e Fisiologia da Glândula Suprarrenal

Estes dois órgãos estão revestidos com uma cápsula formada por tecido conjuntivo, rodeadas por tecido adiposo, membranas e ligamentos que ajudam a fixa-los no seu lugar. No que se refere ao seu interior podem ser distinguidas duas partes bem distintas, o córtex e a medula.

O córtex supra-renal constitui a maior parte da Glândula Suprarrenal, pode ser vista como uma camada espessa de tecido que tem na sua composição células epiteliais que produzem hormonas. Este é composto por três camadas distintas, uma glomerulosa, uma fasciculada e uma reticulada e cada uma destas camadas produz hormonas diferentes, com funções bem distintas e bem definidas.

A mais superficial é a glomerulosa e liberta mineralocorticóides como é o caso da aldosterona. Depois, a camada seguinte que é a fasciculada liberta os glicocorticóides como o cortisol. A última camada, a reticulada produz os androgénios e os estrogénios que são as hormonas masculinas e femininas respetivamente.

A medula supra-renal, ocupa a região central da glândula e é composta por um tecido do tipo nervoso com células especializadas na produção de hormonas e cuja secreção é controlada pela actividade do sistema nervoso autónomo. Nesta parte medular são produzidas hormonas como a dopamina, a noradrenalina e a adrenalina.

De todas as hormonas segregadas pelas supra-renais destacam-se a aldosterona, a adrenalina (ou epinefrina) e a noradrenalina (ou norepinefrina).

Alteração do Funcionamento da Glândula Suprarrenal

A alteração do funcionamento da Glândula Suprarrenal pode ser de dois tipos, excesso ou diminuição da produção de hormonas.

No caso de se verificar uma insuficiência adrenal podem surgir sintomas como hipotensão e choque circulatório, distúrbios do potássio e do sódio, hipoglicemia, alterações das hormonas sexuais, astenia crónica e anorexia.

A sua principal causa é a doença de Adison, uma doença auto-imune em que o organismo produz anticorpos contra si mesmo.

No que se refere ao excesso de funcionamento da Glândula Suprarrenal este está geralmente associado a tumores na mesma. Os sintomas que podem surgir vão depender da hormona que o tumor vai produzir:

  • O excesso de cortisol vai causar a Síndrome de Cushing, que leva ao aparecimento de diabetes, aumento de peso, supressão do sistema imune entre outros.
  • O excesso de aldosterona vai provocar uma baixa de potássio, um aumento do sódio no sangue e hipertensão.
  • O excesso de adrenalina provoca hipertensão, suores, palpitações, ataques de pânico, dores de cabeça
Avalia este conteúdo
3.45/5 (38 votos)
Etiquetas: glândula suprarrenal, o que é a glândula suprarrenal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.