Ressonância Magnética Poderá Um Dia Prognosticar Demência

Investigadores da Faculdade de Medicina de duas universidades dos EUA realizaram um estudo cujos resultados, obtidos através de imagens de ressonâncias magnéticas, permitiram identificar alterações cerebrais em fases anteriores à demonstração de sintomas de demência. Deste modo, esta equipa considera que será possível, futuramente, prever se as pessoas mais idosas poderão ou não desenvolver a doença.

Para o estudo, os investigadores avaliaram a substância branca do cérebro através de uma técnica designada como “imagem por tensor de difusão que permite medir o movimento das moléculas de água nos canais da substância branca”, explica Cyrus Raji, investigador líder do estudo. “Se as moléculas de água não se movimentarem normalmente, isso sugere danos implícitos nos canais brancos que podem indicar problemas com a cognição”.

Foram avaliadas imagens de 20 pessoas e identificaram-se 10 indivíduos cujas competências cognitivas se teriam deteriorado no espaço de dois anos, quando comparadas com as outras 10, com a mesma idade e sexo, cujas capacidades estavam normais.

Cyrus Raji confima, “demonstrámos que um único exame de ressonância magnética poderá prever a demência, em média 2,6 anos antes de se detectar clinicamente perdas de memória, o que poderá ajudar os médicos a aconselharem e cuidarem dos seus pacientes”.

Ressonância Magnética Poderá Um Dia Prognosticar Demência

Fonte: In "alert-online.com"

Etiquetas: demência, ressonância magnética

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.