Os Quistos Benignos do Ovário Devem Ser Removidos ou Vigiados?

  • Português

Uma equipa de investigadores concluiu que as mulheres com quistos não-cancerígenos do ovário poderão não necessitar de uma intervenção cirúrgica para os remover. Deste modo, poderão ser evitadas potenciais complicações que advêm da cirurgia.

Frequentemente, os médicos recomendam a remoção dos quistos por via cirúrgica, de forma a evitar complicações graves como ruptura do quisto, torção ovárica ou mesmo degeneração para cancerígeno. Outra opção é a vigilância activa em que há monitorização do tamanho e aparência do quisto através de ecografia.

Neste estudo foram acompanhadas 1,919 mulheres com uma média de idades de 48 anos, de 10 países diferentes e que foram diagnosticadas com quistos benignos do ovário.

Constatou-se que 20% dos quistos desapareceram naturalmente e 16% foram removidos por intervenção cirúrgica. Em 80% dos casos, o quisto resolveu-se por si ou não necessitou de intervenção.

Apenas 12 mulheres (0,4%) foram diagnosticadas com cancro dos ovários, facto que a equipa considerou como um potencial diagnóstico inicial incorrecto como quisto não-cancerígeno em vez de quisto benigno a tornar-se maligno.

A torção ovariana e a ruptura do quisto verificaram-se em 0,4% e 0,2% dos casos, respectivamente. Estes riscos devem ser avaliados juntamente com os riscos de complicações cirúrgicas de remoção do quisto.

Os Quistos Benignos do Ovário Devem Ser Removidos ou Vigiados?

Fonte: In "alert-online.com"

Etiquetas: ovário, quistos, quistos benignos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.