Doentes Com Cancro – Sobrevivência Pode Duplicar

  • Português

[-] Índice de conteúdos

Novo tratamento pode duplicar sobrevivência de doentes com cancro

São cada vez mais os casos de cancro detetados por ano, mas na verdade também cada vez mais se descobrem novos tratamentos para tal doença. Agora surge um novo tratamento, que dizem os responsáveis, pode mesmo duplicar a sobrevivência de doentes com cancro.

Maior esperança para os doentes com cancro através do uso de um novo medicamento fabricado em laboratório que impede que as células cancerígenas se ‘escondam’ e deixem o tumor à mercê da ação de anticorpos.

Maior esperança para os doentes com cancro através do uso de um novo medicamento fabricado em laboratório que impede que as células cancerígenas se ‘escondam’ e deixem o tumor à mercê da ação de anticorpos.

Foi levada a cabo uma investigação pelas universidades dos Estados Unidos e da Europa. Os investigadores responsáveis afirmam poder ter encontrado um tratamento inovador e de maior eficácia para a cura do cancro, especialmente do cancro da pele e do cancro do pulmão. Este novo tratamento não só promete a duplicação do tempo de sobrevivência como vem substituir a quimioterapia num prazo de cinco anos. O estudo realizado e que foi publicado na American Society of Clinical Oncology, afirma que está em causa o uso de um medicamento novo, elaborado em laboratório e que tem o nome de Nivolumab. O referido medicamento tem a capacidade de impedir que as células cancerígenas se ocultem deixando o tumor maligno à merce da ação dos anticorpos.

Durante este estudo foram “usadas” 582 pessoas que eram portadoras do cancro do pulmão, em estado avançado e que haviam já sido sujeitas a outro tipo de terapia. Os doentes que foram submetidos ao tratamento em uso tiveram uma média de vida de 9,4 meses, depois de lhes ter sido dito que estavam curados. Aqueles que testaram o novo medicamento tiveram de vida mais 12,2 meses. Convém alertar que alguns doentes tiveram um tumor que resistiu cerca de 19,4 meses à ação dos anticorpos. Estes resultados, são para a comunidade científica e principalmente para os investigadores em causa um caso de grande sucesso.

O médico responsável pela investigação, conhecido pelo nome de Luis Paz-Ares, e médico no Hospital Universitário Doce de Octubre, afirma que este medicamento é “um marco no desenvolvimento de novas opções de tratamento contra o cancro do pulmão”. Refere também que os doentes com cancro da pele também vir a beneficiar com a administração do Nivolumab.

Etiquetas: alternativa à quimioterapia, cancro, história do cancro, sobrevivência ao cancro

Leave a Reply

Your email address will not be published.