Portugal Usa o Pacemaker Mais Pequeno do Mundo

São muitas as pessoas que devido a doenças cardíacas necessitam da colocação de um pacemaker. Esta colocação é feita cirurgicamente, mas hoje foi dado mais um passo a pensar no doente. Foi no Hospital de Santa Cruz, em Carnaxide, Lisboa, que foi pela primeira vez implantado o pacemaker mais pequeno do mundo. Este novo aparelho mede somente 2,5 cm, o que significa que é dez vezes mais pequeno que os até então usados. Sabe-se também que é dispensável a incisão cirúrgica e que desta forma o hospital em questão fica a ser um dos pioneiros a dispor deste dispositivo para os seus pacientes.

Com apenas 2,5 centímetros, o novo pacemaker tem um décimo do tamanho do pacemaker convencional e pode ser introduzido por um catéter na veia femoral (na perna) para ser instalado no coração. Uma série de pequenos ganchos vão fixar o dispositivo ao músculo cardíaco, mas a localização pode ser ajustada consoante a necessidade.

Com apenas 2,5 centímetros, o novo pacemaker tem um décimo do tamanho do pacemaker convencional e pode ser introduzido por um catéter na veia femoral (na perna) para ser instalado no coração. Uma série de pequenos ganchos vão fixar o dispositivo ao músculo cardíaco, mas a localização pode ser ajustada consoante a necessidade.

Segundo refere Pedro Aragão, o coordenador da Unidade de Arritmologia de Intervenção “Este primeiro implante marca uma nova etapa no tratamento das arritmias cardíacas já que, ao contrário do pacemaker convencional, este novo dispositivo é implantado diretamente no coração através de um procedimento minimamente invasivo, sem necessidade de colocação de cabos – elétrodos, que são os principais responsáveis pelas complicações a longo prazo”.

Afirma ainda que uma outra vantagem deste novo aparelho é como já foi dito “não ser necessária incisão cirúrgica no peito, eliminando, desta forma, qualquer sinal visível do pacemaker e reduzindo o risco de incisões e tempo de recuperação dos pacientes”. Este pequeno aparelho é colocado no organismo do doente através de cateter uma vez que as suas reduzidas dimensões assim o permite. O cateter é inserido na veia femoral e levará a capsula cardíaca até ao coração que se pretende tratar. O pacemaker vai ficar preso à parede do coração e pode ser reposicionado sempre que a situação clinica assim o exija.

Apesar de ser bastante mais pequeno que o convencional a sua bateria terá uma duração de cerca de dez anos, sendo esta uma nova vantagem. O citado dispositivo tem a capacidade de responder aos níveis de atividade do doente o que permitirá um ajuste à pessoa que o tem. Outra grande regalia é que este novo dispositivo é compatível com ressonância magnética.

Etiquetas: pacemaker, pacemaker mais pequeno do Mundo chegou a Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.