Nós usamos cookies para melhorar o nosso serviço. Ao usar o Em Forma, está a consentir à utilização de cookies. Aceitar Saber mais


Incumprimentos na Vacinação Obrigatória

“A vacinação é obrigatória”, afirma-se. No entanto, muitas são as pessoas que não têm as suas vacinas em dia. Para a saúde pública, estar devidamente vacinado é de extrema importância, dado que esta é a única forma da população e do país estarem prevenidos contra doenças perigosas.

É importante que as pessoas saibam que se a vacinação não for cumprida a população pode vir a sofrer de doenças que até já tinham desaparecido quase por completo. Quem não se lembra do que aconteceu no ano de 2014? Os Estados Unidos sofreram um surto de sarampo e o Brasil um surto de coqueluche.

Nos últimos anos a esperança média de vida aumentou. A mortalidade infantil decresceu de forma bem considerável. Estes dois acontecimentos têm por base vários fatores, e o plano de vacinação é sem dúvida um deles, uma vez que já dispõe de um grande número de vacinas contra graves doenças.

Campanhas de sensibilização feitas por parte dos profissionais de saúde, pela comunicação social, alertam as pessoas em geral para a importância da vacinação na redução das doenças, no aumento da esperança de vida, no aumento da qualidade de vida entre muitos outros.

“Milhões de mortes em todo o mundo são evitadas anualmente pelo uso de vacinas. Erradicamos a varíola …controlamos o sarampo, a poliomielite, a coqueluche, o tétano e a rubéola. As vacinas, além de evitar hospitalizações e até casos de óbito, também minimizam o uso de antibióticos e o sofrimento de toda a população”. Esta é uma afirmação de Renato Kfouri, um infeciologista de um hospital de São Paulo. No Brasil, tal como em Portugal muitas são ainda as pessoas que rejeitam a vacinação. Esta rejeição tem por base o medo dos efeitos colaterais das vacinas, embora saibam que eles são bastante raros e sempre menores que a própria doença.

Parece que ainda há um longo caminho a percorrer para que toda a população se preocupe em ter a sua vacinação correta assim como daqueles que estão aos seus cuidados. Enquanto isso a saúde pública sofre.

Avalia este conteúdo
2.5/5 (1 votos)
Etiquetas: Brasil, campanhas de sensibilização, coqueluche, doenças perigosas, efeitos colaterais das vacinas, esperança média de vida, estados unidos, mortalidade infantil, poliomielite, profissionais de saúde, rubéola, são paulo, sarampo, saúde pública, surto de coqueluche, tétano, vacinação, vacinação obrigatória, vacinas, varíola

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.