Nós usamos cookies para melhorar o nosso serviço. Ao usar o Em Forma, está a consentir à utilização de cookies. Aceitar Saber mais


Histamina

Decorria o início do século XX quando pela primeira vez foi sintetizada a histamina. No entanto, foi muito mais tarde, que foram descobertas as suas propriedades e os seus efeitos sobre o organismo.

Hoje sabe-se que esta consiste numa amina primária que é sintetizada no organismo, partindo de um aminoácido conhecido pelo nome de histidina e que é vítima de uma descarboxilação realizada por uma enzina de nome histidina-descarboxilase.

Nos animais, a citada amina, funciona como sendo uma mediadora dos processos inflamatórios, mas com uma participação ativa nos diferentes processos fisiológicos desses mesmos animais. De todos os processos fisiológicos podem ser referidos os processos alérgicos, a proliferação celular, a angiogénese, a manutenção da permeabilidade vascular, a anafilaxia e a secreção gástrica.

Quando a histamina é libertada para o organismo, surgem efeitos fisiológicos e/ou patológicos em consequência da ligação que se estabelece com os recetores de superfície descobertos nas distintas células-alvo e que sabe serem quatro. Da ligação da histamina com os citados recetores surge certamente o seguinte: a vasodilatação arteriolar, o aumento da permeabilidade, uma acentuada secreção ácida gástrica, a broncoconstrição, a alteração da frequência cardíaca e o aviso das reações anafiláticas e alérgicas.

Quanto às ações da histamina, esta envolve diversos órgãos e sistemas do organismo. Tem ação sobre o músculo liso, o endotélio vascular, o coração, o sistema gastrointestinal, as terminações nervosas aferentes e o sistema nervoso central. As ações da histamina mais importantes são sobre o músculo liso provocando contrações de algumas fibras musculares e o relaxamento de outras tantas. A citada substância provoca a contração do músculo liso dos brônquios, sendo este diferente entre as diferentes espécies. Também a sensibilidade do músculo liso brônquico à substância é diferente.

Os sintomas à histamina dependem do local onde esta é libertada: nariz a pingar, olhos a lacrimejar, prurido na pele e nos olhos, falta de ar e pele seca podem ser alguns dos sinais.

Avalia este conteúdo
3.175/5 (3 votos)
Etiquetas: efeitos da histamina, histamina, propriedades da histamina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.