Nós usamos cookies para melhorar o nosso serviço. Ao usar o Em Forma, está a consentir à utilização de cookies. Aceitar Saber mais


Estar Com os Amigos Faz Bem à Saúde

Em Portugal realizou-se pela primeira vez um estudo sobre a amizade e os seus efeitos na saúde. Quando falamos de amigos referimo-nos aos que se encontram em presença física e não dos tão falados e agora em moda: os amigos das redes sociais. O estudo realizado conclui que a presença física dos amigos é de extrema importância para o bem-estar físico e mental das pessoas, e que os amigos das redes sociais deixam nas mesmas, a sensação de solidão.

A amizade presencial é benéfica para a saúde e bem-estar, as pessoas riem-se mais, exprimem mais emoções positivas, sentem-se mais apoiadas e otimistas e sentem que têm alguém em quem confiar em momentos complicados.

O mesmo estudo veio também afirmar que quem “convive” com mais frequência com os amigos do facebook está a arriscar a proximidade com os amigos “verdadeiros”. Desta forma, quem usa as redes sociais para ter apoio, arrisca-se a sentir que não tem auxílio dos outros quando deles experimenta necessidade sentindo-se mais afastado das pessoas que os rodeiam.

Luísa Lima, a diretora do ensaio realizado pela equipa do Centro de Investigação e Intervenção Social do Instituto Universitário de Lisboa, refere que um dos seus objetivos era perceber se os contactos virtuais traziam às pessoas os mesmos benefícios que os contactos ao vivo. A relação estudada, entre a amizade e a saúde, teve em consideração a construção de relações de proximidade e em Portugal está presente uma prática frequente de socialização com os amigos.

Das pessoas questionadas cerca de cinquenta e cinco por cento considera que tem mais de dez amigos. Cinquenta e nove por cento têm três ou mais amigos e quarenta e oito por cento convivem com os amigos pelo menos uma vez por semana. Todos estes dados vieram indicar que existe uma grande dimensão social e um elevado nível de proximidade entre os portugueses. Dos dados achados existem ainda outros de grande importância: cinquenta e oito por cento nunca ou muito raramente se sente só, enquanto setenta por cento pensa que tem amigos que os vão ajudar em caso de necessidade. Quarenta e cinco por cento sentem-se socialmente integrados e cinquenta e seis por cento sentem uma grande conexão social.

Avalia este conteúdo
2.5/5 (1 votos)
Etiquetas: amigos, amizade e saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.