Analgesia Congénita

  • Português

Você sabia que existe uma doença que se chama analgesia congénita? Sabia que esta doença afeta apenas cerca de cinquenta pessoas em todo o mundo? E sabia que esta é uma das piores doenças do mundo?

Ao falar de analgesia congénita ou insensibilidade à dor, como também é conhecida, até parece uma coisa boa. Uma mulher no Brasil conhecida pelo nome de Marisa de Toledo nem precisou de anestesia para ser submetida a uma cesariana. E quando nasceu um dos seus filhos de parto normal ela adormeceu enquanto ele decorria. Que maravilha não é? Estão certamente a pensar as pessoas que têm medo de sentir dor. Mas na verdade esta mulher, que é um dos poucos casos em todo o mundo, também já partiu um tornozelo e só deu por ela dias depois. Queimou as suas costas à lareira e nem reparou. As suas mãos apresentam-se com inúmeras cicatrizes em sequência de cortes e queimaduras que ela não sente.

As pessoas que sofrem desta condição rara são incapazes de sentir dor física e podem correr risco de vida. Um simples exemplo de como é importante ao ser humano sentir dor, é a picada de abelha que provoca uma dor intensa e leva à formação de um pequeno inchaço branco rodeado por uma zona avermelhada, que poderá evoluir para um edema local. No caso da vítima ser alérgica, a picada pode desenvolver a acentuação da reacção local e reacções sistémicas graves.

Face a este risco a esperança média de vida destes doentes é apenas de vinte anos. As crianças podem morrer precocemente uma vez que estão sujeitas a infeções, mas não manifestam sintomas capazes de saberem que têm que recorrer ao médico para serem tratadas conveniente e atempadamente.

Não se sabe a causa de tal mal, mas pensa-se que uma produção aumentada de endorfinas no cérebro pode ser a responsável. Ainda assim, a comunidade científica tem rejeitado esta responsabilidade como sendo uma hipótese pouco provável dado que se este fosse o problema seria resolvido com a administração de naloxona. Os estudos mais recentes afirmam que este é um problema genético e que quer homens quer mulheres podem sofrer deste mal nas mesmas probabilidades.

Em Portugal não são conhecidos casos de analgesia congénita. Por tudo isto e se é português sinta-se uma pessoa feliz por sentir dor. Ela serve como aviso de que algo errado está a acontecer com o seu organismo.

Etiquetas: analgesia congénita, causas da dor física, dor física, insensibilidade à dor

Leave a Reply

Your email address will not be published.