O Que é a Bronquite Aguda

Bronquite é a inflamação dos brônquios, canais pelos quais o ar chega até os alvéolos, que são pequenas estruturas localizadas no final dos ditos brônquios (Autor: Patrick J. Lynch)

Bronquite é a inflamação dos brônquios, canais pelos quais o ar chega até os alvéolos, que são pequenas estruturas localizadas no final dos ditos brônquios (Autor: Patrick J. Lynch)

Bronquite é a inflamação dos brônquios, canais pelos quais o ar chega até os alvéolos, que são pequenas estruturas localizadas no final dos ditos brônquios.

Existem dois tipos, a bronquite aguda, que geralmente é causada por vírus ou bactérias e que dura diversos dias ou até semanas, e a bronquite crónica com duração de anos, não necessariamente causada por uma infecção.

A bronquite aguda é mais comum no inverno e muitas vezes é causada pelos mesmos vírus que originam as gripes ou constipações.

Entre as causas mais comuns estão os agentes químicos que penetram nos pulmões, como por exemplo, poeira, fumo, tinta, focos de infecções nas amígdalas, nos seios nasais (sinusite) e junto às raízes dos dentes.

Esta caracteriza-se por tosse seca, com sensação de desconforto retroesternal. No início da doença não se acompanha de sinais físicos.

Desde que o processo se estenda além da traqueia, atingindo os brônquios, pode-se ouvir roncos e sibilos difusos. Quando houver infecção, numa fase mais avançada, surge expectoração. È nesta altura que o doente apresenta manifestações gerais de infecção respiratória.

Normalmente, e à semelhança de todos os processos infecciosos, também provoca febre, mas o aumento da temperatura corporal costuma ser moderado. Por vezes, a irritação brônquica é tão intensa que provoca dores no peito, sobretudo atrás do esterno. A mucosa pode estar tão inflamada e o interior dos canais tão ocupados por secreções que surge uma sensação de angústia ou falta de ar ao respirar, o que se conhece como dispneia.

Em condições normais, os microrganismos e as reduzidas partículas que chegam aos brônquios provenientes do exterior ficam retidos no muco, sendo arrastados até a laringe, graças à coordenada movimentação dos cílios (protecção dos pulmões contra substancias estranhas, como as referidas anteriormente). Qualquer factor que altere este mecanismo defensivo favorecerá o desenvolvimento de uma bronquite aguda.

[-] Índice de conteúdos

Tratamento da Bronquite Aguda

• Medidas de ordem geral – proibir o fumo, o álcool e os gelados. Evitar a exposição ao frio e à humidade. Fornecer suprimento líquido adequado para facilitar a fluidificação das secreções, e também com a mesma finalidade prescrever nebulizações com vapor de água.

• Medicamentos broncodilatadores – na vigência de dificuldade respiratória impõem-se o uso de broncodilatadores, do tipo da aminofilina e drogas beta 2-estimulantes (salbutamol, terbutalina e fenoterol). As doses recomendadas dessas drogas estão referidas nos temas asma brônquica e complexo bronquite crônica-enfisema pulmonar.

• Corticosteróides – não se conseguindo bons resultados com a medicação broncodilatadora no alívio da dificuldade respiratória, ou na vigência de bronquite aguda ocasionada por agentes químicos ou na evidência de factor alérgico, deve ser prescrito o uso de corticosteróides, cujas doses e maneira de aplicação estão referidas nos capítulos sobre asma brônquica e complexo bronquite crônica-enfisema pulmonar.

• Mucolíticos – quando há muita secreção podem ser usados, como por exemplo, o ambroxol, na dose de 30 mg por 5 ml, 3 vezes ao dia ou acetilcisteína, 100-200 mg, 2 a 3 vezes ao dia.

• Antibiótico – na presença de expectoração muco-purulenta ou purulenta, torna-se necessário o seu uso.

Amoxicilina – é actualmente o mais utilizado, com nível de 90% de absorção por via oral, dose 500 mg de 8/8 h.

Ampicilina – via oral, dose de 2 a 6 g ao dia.

Penicilina V – (Pen-Ve-Oral), via oral, 500.000 a 1.000.000 U, cada 6 h.

Penicilina G Procaína, 300.000 a 600.000 U, 12/12 h, via intramuscular.

Em casos mais rebeldes, poderão ser usados cefalosporinas de 1ª, 2ª ou 3ª geração, ou ainda quinolonas, de acordo com o que está referido no Capítulo Actualização em Antimicrobianos.

Oxigeno terapia – nos casos de bronquite aguda muito graves observados em crianças de tenra idade, idosos ou pulmonares crónicos com manifestação de sintomas de doenças anteriores, rapidamente instala-se deficiência de concentração de oxigénio no sangue arterial sendo recomendada a oxigeno terapia.

A bronquite aguda é mais comum e mais grave nas crianças e adolescentes devido a peculiaridade da estrutura pulmonar relacionada à idade e ao crescimento.

• Todas as vias aéreas estão presentes ao nascimento. O crescimento pulmonar durante a infância e adolescência envolve adição de espaços aéreos. Doenças acometendo o sistema respiratório exibem um significante comprometimento das vias aéreas no jovem.

• O tamanho e o diâmetro das vias aéreas são proporcionais à idade. Edema da mucosa ou aumento de secreção produz mais obstrução numa dada via quanto mais jovem for o indivíduo.

• Com o aumento da idade há uma tendência para a diminuição do colapso das vias aéreas. Nas crianças é possível que algumas unidades pulmonares se fechem em parte, mesmo quando se encontrem saudáveis. Esta situação aumenta a gravidade dos sintomas e dificulta a troca gasosa intrapulmonar em crianças e adolescentes com os seus brônquios em desenvolvimento.

• Quanto mais jovem tanto maior será a compressão dinâmica das vias aéreas intratoráxicas durante a expiração. Na presença de inflamação e edema da mucosa haverá uma mais pronunciada tendência à limitação do fluxo aéreo durante a expiração.

Etiquetas: tratamento da bronquite aguda
Um comentário sobre “O Que é a Bronquite Aguda
  1. Robson disse:

    Muito bom seu artigo Ótima dica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.