Apendicite

  • Português

A Apendicite é uma inflamação do apêndice, um pequeno segmento e com a forma de um dedo que pende do intestino grosso, no local onde ele se une com o intestino delgado.

Embora o apêndice possa ter uma função imunológica, não se sabe ao certo qual a sua função, mas sabe-se que não é um órgão essencial ao organismo.

A apendicite surge com mais frequência entre os 15 e os 30 anos de idade, e é uma das doenças que mais obriga a cirurgias abdominais nas crianças.

Quando não tratada a apendicite é quase 100% mortal mas sendo tratada a mortalidade é quase nula (cerca de 0.1% dos casos leva à morte).

[-] Índice de conteúdos

Etiologia da Apendicite

A razão pela qual a apendicite surge não é totalmente clara mas na maioria dos casos deve-se a uma obstrução, que leva o apêndice a inflamar e a dar origem a uma infecção.

A obstrução pode ser feita por um fecalito (pequena pedra de fezes) ou em casos mais raros devido e um parasita intestinal.

Pode também surgir através de cálculos da vesícula biliar e através da amplificação dos gânglios linfáticos locais.

Caso de apendicite aguda em rapaz de 10 anos de idade (Autor: Ed Uthman, MD)

Caso de apendicite aguda em rapaz de 10 anos de idade (Autor: Ed Uthman, MD)

As bactérias que estão presentes no apêndice produzem gases que ao ficarem retidos pela obstrução vão fazer com que o apêndice comece a inchar.

Com a crescente pressão vai surgir a falta de oxigénio nas células, que com o passar do tempo, conduz a uma necrose, ou seja, à morte das células.

Complicações da Apendicite

  • A complicação mais comum é a perfuração do apêndice, que deixa sair as fezes e pus para fora do intestino.
  • Um apêndice perfurado pode também libertar bactérias que vão infectar a corrente sanguínea, levando a uma septicemia que em alguns casos é mortal.
  • O pus e as bactérias que são libertadas podem formar um abcesso.
  • Pode surgir um coágulo dentro de um vaso sanguíneo (trombose) na veia que retira o sangue do sistema digestivo.

Diagnóstico da Apendicite

O diagnóstico da apendicite é bastante complicado já que existem poucos sintomas que permitam dizer de forma clara do que se trata.

Muitos dos sintomas que a apendicite gera, são também sintomas de várias outras doenças.

Outra questão que pode dificultar o diagnostico por parte dos médicos é que o apêndice por vezes está localizado num local diferente do considerado “normal”, o que leva a dores numa zona diferente da zona normalmente associada à apendicite.

Os sintomas da apendicite são:

  • Dor na zona inferior direita do abdómen. Em alguns casos a dor tem uma intensidade moderada.
  • O doente fica sensível ao toque na zona afectada.
  • Enjoos e vómitos.
  • Febre baixa.
  • Alguma falta de apetite.

Habitualmente os sintomas vão-se agravando com o passar do tempo e com a evolução da doença.

Análises sanguíneas feitas ao doente podem mostrar um aumento do número de leucócitos e vão informar o médico se existe ou não alguma infecção.

Como tira teimas pode ser feito uma tomografia computorizada que vai revelar o apêndice inchado.

Tratamento da Apendicite

O tratamento mais normal para a apendicite é a remoção do apêndice numa cirurgia. A cirurgia, chamada de apendicectomia, deve ser feita o mais rápido possível para evitar as complicações descritas acima.

Frequentemente, o médico em caso de suspeita de apendicite, pode operar o doente mesmo sem a confirmação da doença, para evitar que o apêndice se fure.

Contabilizando os riscos, a cirurgia de remoção do apêndice é relativamente simples e quase sem riscos, enquanto que se o apêndice romper pode levar ao risco de morte.

Cada vez tem sido mais comum o uso da cirurgia laparoscópica como forma de remover o apêndice.

Esta cirurgia é menos invasiva que a cirurgia tradicional e recorre a uma câmara e dois ou 3 instrumentos cirúrgicos que são introduzidos no abdómen através de pequenos orifícios.

Este método tem vantagens já que exige menos tempo de internamento, menos tempo de recuperação e provoca menos dores ao doente.

Durante a operação o doente recebe antibióticos injectados directamente numa veia para prevenir alguma infecção.

Pós-operatório da Apendicite

Caso tenha havido um rompimento do apêndice o doente deve tomar antibióticos pelo menos durante a semana seguinte à operação.

Nas 24 horas seguintes à intervenção cirúrgica, o doente não pode beber ou comer nada. Depois de forma gradual pode ir passando a ingerir água, líquidos claros e alimentos sólidos até puder voltar a ter uma dieta normal.

No caso de ser utilizada a cirurgia laparoscópia o doente pode ter alta no dia seguinte à operação, senão normalmente precisa de 2 a 3 dias de internamento.

Cada caso é um caso e depende da forma como a operação correu e da própria resposta do organismo do doente, normalmente em três meses o doente que sofreu uma apendicite pode voltar a ter uma vida completamente normal e voltar inclusive à prática desportiva.

Etiquetas: complicações da apendicite, diagnóstico da apendicite, tratamento da apendicite
Um comentário sobre “Apendicite
  1. Denize oliveira ramos says:

    Eu fiz apêndicectomia. E estava com muito pus e meus órgão. Foram lava ja tem 18 dias mas sento muita dor abfominal e na cirugia que foi do ubingo pra baixo

Leave a Reply

Your email address will not be published.