Amigdalite

Imagem de Amigdalite (Autor: Pbeck)

Imagem de Amigdalite (Autor: Pbeck)

A amigdalite é um problema de saúde bastante frequente em quase todas as sociedades que existem no planeta, o qual surge geralmente indicado na gíria como uma dor de garganta.

No fundo, estas dores de garganta (ou amigdalites) aparecem devido a uma infecção nas amígdalas palatinas, e podem originar sintomas de febre para além da dor de garganta.

As amígdalas palatinas funcionam como uma espécie de filtro, que evita infecções a nível interno.

Contudo, e como estão expostas a muitos agentes infecciosos, tornam-se elas próprias susceptíveis a contrair infecções.

Estas infecções surgem geralmente devido a mudanças de temperatura bruscas, e estão associadas na maioria dos casos a locais onde o Inverno é seco, manifestando-se maioritariamente nesta estação do ano.

A ocorrência deste problema tem também sido relatada com mais frequência em crianças, visto o seu sistema imunitário ainda estar menos desenvolvido.

Existem uma série de factores, para além das mudanças de temperatura, que poderão levar a uma maior incidência de amigdalites, como problemas a nível de higiene, exposição a fumo ou tabagismo, bem como qualquer outros agentes que possam de alguma forma fragilizar as amígdalas.

Contudo, é importante referir que este problema pode ser prevenido e tratado.

A prevenção poderá ser feita evitando mudanças de temperatura bruscas, através da utilização de cachecóis, por exemplo, e evitando o tabaco ou ambientes de fumo.

Quanto ao tratamento, este pode ser resolvido através de antibióticos. A juntar a estes antibióticos existem ainda algumas técnicas mais tradicionais que são uma excelente ajuda, como o acto de gargarejar com uma solução de água com sal, a ingestão de bebidas mornas e / ou com mel, e a ingestão de alimentos mais suaves (papas, etc.).

Em casos mais graves pode ser necessária uma intervenção cirúrgica para remoção das amígdalas, o que deixará o organismo mais fragilizado. Assim sendo, esta hipótese deverá ser sempre evitada e apenas se deve recorrer a cirurgia quando não há outra opção.

Marcado com: ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.