Nós usamos cookies para melhorar o nosso serviço. Ao usar o Em Forma, está a consentir à utilização de cookies. Aceitar Saber mais


Ascite

  • Português

A Ascite é uma doença do foro gastroenterológico, que resulta da acumulação de fluidos na cavidade do peritónio.

Normalmente decorre da cirrose ou patologias do fígado e pode mesmo encobrir outros problemas médicos.

[-] Índice de conteúdos

Diagnóstico da Ascite

Para saber se sofre de ascite, tem de recorrer a um teste de sangue, uma ultrassonografia do abdómen e remoção de uma amostra de fluido com uma agulha ou paracentese.

Ascite (Autor: James Heilman, MD)

Ascite (Autor: James Heilman, MD)

Sintomas da Ascite

– Distensão abdominal, isto é, uma sensação de peso e pressão progressivas no abdómen, a juntarem à dificuldade respiratória devido à frequente contração do diafragma.
– Hipertensão Portal
– Edema de membros inferiores, equimoses, ginecomastia, hematémese ou alterações mentais devido a encefalopatia hepática.
– Fadiga crónica ou perda de peso, caso a ascite provenha de doenças como o cancro
– Insuficiência Respiratória, se causada por insuficiência cardíaca.

Causa da Ascite

– A patologia pode ser diagnosticada por consequência das seguintes doenças:
– Cirrose
– Insuficiência cardíaca
– Síndrome de Budd-Chiari ou patologia veno-oclusiva;
– Pericardite constritiva
– Cancro
– Tuberculose – 2%
– Pancreatite – 1%
– Serosite
– Síndrome nefrótica

Tratamentos Possíveis Para a Ascite

Existem dois tipos de tratamento que podem ajudar na cura da ascite, mas que oscilam cas a patologia seja de Gradiente elevado ou baixo.

No primeiro caso, a ascite é originada pela cirrosa e a restrição salina no corpo é o passo que primeiramente é tomado. Isto irá permitir que o paciente urine com mais frequência, uma vez que tem mais fluência de sal no sangue.

A espironolactona é o medicamento mais indicado para a situação, uma vez que bloqueia a receção de aldosterona, através da administração de 100 a 400 miligramas, por dia, deste fármaco no doente.

A isto pode adicionar-se o tratamento terapêutico, de forma a aumentar a diurese, através da furosemida, um fármaco cuja dose recomendada é 40 a 160 miligramas diariamente.

Os níveis séricos de potássio e a função renal devem ser cuidadosamente monitorizados enquanto durar o esquema terapêutico, devido às alterações que estes fármacos podem implicar.

Ascite Severa

Nestes casos, a paracentese terapêutica é a mais indicada, mas sem nunca dispensar o que indicamos anteriormente. Normalmente, os médicos adicionam, após este fármaco, abulmina.

Ascite Refratária

Nos casos de ser diagnosticada Ascite refratária, o tratamento incide no transplante hepático, uma intervenção mais agressiva, mas com mais hipóteses de sucesso nestes casos.

Ascite Recorrente

Neste tipo de Ascite, alguns doentes pode proceder à colocação de shunts porto-cava, peritónio-venoso e transjugular intra-hepático porto sistemático.

Apesar de todos já terem sido implementados, os resultados mostram que não aumentam a esperança média de vida dos doentes, funcionando, apenas, como um passo que prepara o transplante hepático.

Gradiente Baixo

A ascite exaustiva, de gradiente baixo, é um nível mais avançado da doença, que já não tenta, sequer, o tratamento do controlo do sódio e ureia.

Nestes casos os médicos optam por implementar o tratamento com paracenteses sistemáticas, que se tornam a base do processo de cura da Ascite exaustiva.

Apesar de resultar de patologias graves a Ascite já apresenta, assim, vários tratamentos, diminuindo o sofrimento do doente, aumentando-lhe a qualidade de vida durante este período de doença.

Avalia este conteúdo
3.675/5 (7 votos)
Etiquetas: ascite recorrente, ascite refratária, ascite Severa, diagnóstico da ascite, sintomas da ascite

Leave a Reply

Your email address will not be published.