Nós usamos cookies para melhorar o nosso serviço. Ao usar o Em Forma, está a consentir à utilização de cookies. Aceitar Saber mais


Como Evitar a Depressão Devido ao Desemprego

[-] Índice de conteúdos

Depressão aliada ao desemprego

Infelizmente o desemprego bate à porta da grande maioria das pessoas atingindo pessoas de ambos os sexos. Não é fácil encarar uma situação destas, muitas vezes depois de vinte ou trinta anos de trabalho, com famílias para sustentar e numa idade em que encontrar um novo trabalho pode não ser tarefa fácil. Mas é necessário saber encarar a situação não se deixando embarcar em pensamentos negativos, derrotistas e até mesmo na depressão.

Considerando a enorme quantidade de informação contida no meio e a forma como ela e empregada, pode-se dizer que existe uma solução racional ao problema do desemprego, os avanços tecnológicos e educacionais proporcionaram alternativas estruturadas e sociais, melhorando a vida da maioria da população.

Considerando a enorme quantidade de informação contida no meio e a forma como ela e empregada, pode-se dizer que existe uma solução racional ao problema do desemprego, os avanços tecnológicos e educacionais proporcionaram alternativas estruturadas e sociais, melhorando a vida da maioria da população, incluindo a depressão pós-desemprego.

Sabe-se que as reações ao desemprego podem ser variadas e que estas se encontram dependentes da experiência de vida, da forma de pensar, da forma de encarar as dificuldades, do efeito surpresa da notícia e ainda do tempo de trabalho efetivo e perdido. Surgem muitas vezes sentimentos como a vergonha, a culpa, o medo, a perda de identidade, sendo necessário recorrer a regras e comportamentos que aumentem a autoestima e a autoconfiança.

  • O desemprego pode servir de marco para a reflexão e para a transformação. É hora de construir alguma coisa nova tendo em conta a idade, as qualificações e as características pessoais. Não vire as costas a novos desafios.
  • Pense que a culpa pode não ser sua, mas de uma conjuntura da qual faz parte. Aceite que a sua vida mudou, mas que não é menos valiosa por isso, embora possa ter sido injusta. Valorize as suas qualidades e não pense apenas nas suas dificuldades.
  • Aprenda a viver com o que tem e não com o que gostaria de ter, mas pode e deve continuar a fazer planos futuros.
  • Continue a cuidar da sua imagem e da sua saúde. Mantenha os mesmos horários que tinha e não perca os horários das refeições e de outras atividades individuais e familiares.
  • Tenha pensamentos positivos e procure novas oportunidades.
  • Organize as suas despesas em função do seu novo rendimento e se necessitar de ajuda não perca tempo e peça-a. Não se envergonhe, existem muitas pessoas numa situação semelhante à sua.
Avalia este conteúdo
3.125/5 (2 votos)
Etiquetas: causas da depressão, como evitar a depressão, depressão, depressão e desemprego, desemprego, tratamento depressão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.