Mini abdominoplastia – cirurgia indicada para casos de menor flacidez

Existem grandes diferenças entre a abdominosplastia e a mini abdominoplastia podendo ser citadas as seguintes:

  • A mini abdominoplastia é bem mais barata que a primeira.
  • A área de incisão (corte) é também mais pequena por isso a cicatriz final é mais pequena. No entanto, saiba que esta pode variar dependendo do cirurgião e da localização da pele flácida.
  • A zona do estômago vai ficar mais tensa e por isso a zona abdominal fica mais firme e mais tonificada.
  • A mini abdominoplastia não faz o tratamento da pele acima do umbigo e também não é necessário fazer um novo.
  • O pós-operatório é também mais fácil e mais rápido.
A mini-abdominoplastia pode ser realizada sob anestesia geral ou epidural, durando em média 2 horas e, o cirurgião plástico faz um corte na região púbica de tamanho médio e corta a pele que esteja excedente, queimando a gordura localizada. Em seguida cobre novamente a área abdominal, esticando a pele da parte superior do abdómen e, fazendo uma nova sutura junto à púbis

A mini-abdominoplastia pode ser realizada sob anestesia geral ou epidural, durando em média 2 horas em que o cirurgião plástico faz um corte na região púbica de tamanho médio e corta a pele que esteja excedente, queimando a gordura localizada. Em seguida cobre novamente a área abdominal, esticando a pele da parte superior do abdómen fazendo uma nova sutura junto à púbis.

Mas afinal o que é uma mini-abdominoplastia? É apenas uma cirurgia plástica feita na zona abdominal e onde a área a tratar se localiza entre o umbigo e a região púbica. Está indicada para as pessoas, homens ou mulheres, que apresentam muita flacidez ou estrias na citada zona. O médico faz um corte da pele na região púbica, corta a que se encontra a mais e depois faz a cobertura dessa zona esticando a pele da parte superior do abdómen. Como muitas pessoas têm medo da anestesia geral saiba que este tipo de cirurgia pode ser feita com epidural e na maioria dos casos tem uma duração de duas horas.

Quanto aos riscos, esta também tem os seus:

  • Trombose venosa, que pode diminuir a sua incidência, se durante um período antes se fizer a administração de heparina.
  • A infeção, que pode ser evitada com a administração de antibióticos.
  • A abertura da sutura.

Todos estes riscos podem ser minimizados com as atitudes certas por parte do médico e do paciente e com a administração dos medicamentos adequados, quer no pré quer no pós-operatório. Mas falando do pós-operatório este decorre em cerca de quarenta e cinco dias devendo ser evitados os esforços durante os primeiros tempos. Ao fim de dois meses as atividades normais podem ser retomadas (isto se não houver complicações).

Marcado com: , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Forum

Acede ao forum de discussão do Em Forma e discute novos tópicos e descobre novos temas.

Acompanha o Em Forma