Nós usamos cookies para melhorar o nosso serviço. Ao usar o Em Forma, está a consentir à utilização de cookies. Aceitar Saber mais


Acção do Exercício nas Doenças Associadas à Obesidade

  • Português

As doenças ligadas à obesidade são a hipertensão arterial, a resistência à insulina, a diabetes e o colesterol elevado.

Vamos conhecê-los melhor: Hipertensão Arterial A hipertensão arterial acontece quando a pressão arterial aumenta, podendo resultar em vários problemas cardiovasculares.

O risco de desenvolver as pessoas com obesidade virem a sofrer de hipertensão arterial é muito maior do que em pessoas com peso adequado.

O tratamento da hipertensão deve basear-se numa alimentação nutricionalmente equilibrada, que contenha todos os nutrientes, juntamente com a prática de atividade física e evitar o consumo de álcool, sal e sódio em demasia.

[-] Índice de conteúdos

Resistência à Insulina

Quando alguém se exercita, além de gastar mais calorias, que não serão transformadas em gordura, está também a contribuir para que o nosso corpo transforme as gorduras acumuladas em energia, fazendo assim com que a pessoa evite a obesidade (Autor: Luis Miguel Bugallo Sánchez)

Quando alguém se exercita, além de gastar mais calorias, que não serão transformadas em gordura, está também a contribuir para que o nosso corpo transforme as gorduras acumuladas em energia, fazendo assim com que a pessoa evite a obesidade (Autor: Luis Miguel Bugallo Sánchez)

A resistência à insulina é uma doença onde se dá um aumento na produção de insulina, que é uma hormona produzida pelo pâncreas, a fim de tentar manter os níveis de glicose sanguínea estáveis.

Nestes casos, o que acontece é que os níveis de glicemia estão quase sempre normais, mas a insulina está elevada.

Esse é um fator de risco para a diabetes tipo 2, podendo resultar em algumas alterações tais como a diminuição do HDL-colesterol e o aumento dos triglicerídeos.

Obesidade e a Diabetes

Em Portugal, o número de pessoas que sofrem de diabetes é muito elevado.

A diabetes é uma doença caracterizada pelo aumento da glicose no sangue devido a uma deficiência de insulina, ou então, por resistência à insulina.

Existem 2 tipos de diabetes: a diabetes tipo I (insulino-dependente), que normalmente é adquirida por fatores genéticos e a diabetes tipo II (não insulino-dependente), quase sempre causada pela obesidade e por outros fatores.

A diabetes é diagnosticada através do exame de sangue, sendo que a faixa de normalidade da glicemia varia entre 70 a 110mg/dl de sangue e o tratamento deve ser baseado numa alimentação específica, juntamente com a prática de atividade física, sendo em alguns casos necessário o uso de medicamentos prescritos pelo médico, tais como os hipoglicemiantes orais e a insulina.

A prevenção da diabetes tipo II pode ser realizada através de um esforço contínuo para a manutenção do peso ideal, juntamente com a prática de atividade física, não fumar, controlar a pressão arterial e evitar medicamentos que possam agredir o pâncreas, como é o caso da cortisona e dos diuréticos.

Obesidade e o Colesterol Elevado

O nosso organismo possui colesterol de dois tipos: o HDL, mais conhecido como colesterol bom, o LDL, também chamado de colesterol mau e os triglicerídeos.

Normalmente o colesterol elevado é diagnosticado através de um exame de sangue, sendo que até aos 200mg/dl é considerado normal.

Quando os níveis de colesterol total aumentam, com um LDL-colesterol superior a 200 mg/dl e os triglicerídeos superiores a 150mg/dl, isso pode provocar o entupimento das veias e artérias podendo causar enfartes e derrames.

Para prevenir essa doença, deve-se evitar o consumo de gordura saturada, que se encontra presente em produtos de origem animal, como é o caso das manteigas, do leite integral e derivados, das carnes gordas, da pele de frango e das frituras em geral.

Outros fatores que também contribuem para a normalização dos indíces de colesterol são a ingestão de fibras alimentares e a prática de exercício físico.

Conclusão

Como se pode notar, há dois fatores comuns para a prevenção das doenças associadas à obesidade. Um deles, que é sem dúvida o mais óbvio, é a alimentação.

De fato, uma alimentação cuidada pode ser de grande ajuda para se evitar a obesidade e as doenças a isso associadas.

O segundo fator de prevenção comum a todas estas doenças é a prática de exercício físico regular.

Quando alguém se exercita, além de gastar mais calorias, que não serão transformadas em gordura, está também a contribuir para que o nosso corpo transforme as gorduras acumuladas em energia, fazendo assim com que a pessoa evite a obesidade.

Além de ajudar a combater a obesidade, o exercício físico atua também de diversas formas, todas elas benéficas, sobre as doenças associadas à obesidade.

Avalia este conteúdo
4.75/5 (1 votos)
Etiquetas: combater a obesidade, doença associadas a obesidade, efeito do exercício na obesidade, enfarte, exercício obesidade, obesidade

Leave a Reply

Your email address will not be published.