Benefícios do Consumo de Peixe

O peixe parece estar na lista dos alimentos considerados ótimos para a saúde, aconselhável para ser consumido, pelo menos, duas vezes por semana.

Será que poderemos considerar tal como verdade incontestável?

Recentemente questionou-se a contaminação deste produto da alimentação humana por metilmercúrio , PCB e dioxinas…

Contudo, o consumo regular de peixe e pescado, especialmente no que concerne aos ricos em ácidos gordos ómega-3 traz benefícios ao nível cardíaco, neurológico em fetos, ocular, entre outros. “O pescado é seguro e deve-se incorporar uma gama variada de pescado na dieta de forma a reduzir o risco de doença cardíaca”, disse Bill Hogarth, director da National Oceanic and Atmospheric Administration’s (NOAA). “O receio de contaminação é exagerado (…) há um maior risco para a saúde quando não se consome pescado, dado que apenas 9% dos PCB’s da dieta provêm do peixe, o restante provém da carne e lacticínios”.

[-] Índice de conteúdos

Benefícios do Consumo de Peixe

– Tem um alto nível proteico (as suas proteínas são assimiladas mais facilmente que a de outras carnes e são recomendáveis para crianças, grávidas e mães em amamentação).

Traz quantidades suficientes de aminoácidos, responsáveis pela proteção do organismo, crescimento e desenvolvimento do corpo.

Atum a ser vendido no mercado (Autor: Fisherman)

Atum a ser vendido no mercado (Autor: Fisherman)

Por serem ricos em aminoácidos essenciais, que não são produzidos pelo nosso organismo, o peixe possui proteínas com valor nutritivo superior ao das carnes vermelhas. Estas proteínas favorecem o processo de digestão;

– Tem baixo teor de gordura por ser rica em ácidos gordos insaturados e conter baixa proporção de ácidos gordos saturados– inferior à maioria das carnes – a gordura do peixe possui um complexo, o Ómega-3, que, aliado a outro tipo de gordura, anula os efeitos do mau colesterol. (O Ómega-3 é gordura polinsaturada, contrariamente à carne vermelha rica em gordura saturada, prejudicial à saúde, se consumida em grande quantidade).

Assim, diminui os riscos de doença cardiovascular e de acidente vascular cerebral, reduz a pressão arterial, diminui a taxa de triglicerídeos, tem ação anti-inflamatória e de diminuição do colesterol total no sangue. (Os peixes de carne clara têm menos gordura que os de carne escura e os peixes de água salgada possuem mais Ómega-3 do que os de água doce). Aliás, estudiosos comprovaram o papel protetor do Ómega-3 sobre enfermidades como o cancro, aterosclerose e Alzheimer;

– É uma importante fonte de minerais (sódio, potássio, magnésio, cálcio, ferro, fósforo, iodo, flúor, selênio, manganês e cobalto). Resumidamente, seguem-se as funções vitais de alguns deles:

  • O cálcio é responsável pela formação dos ossos e dentes; auxilia na coagulação, no sistema nervoso, coração e contração muscular;
  • O fósforo auxilia as funções cerebrais;
  • O ferro permite a formação da hemoglobina, a metabolizar as proteínas;
  • O flúor auxilia a saúde dentária;
  • O sal intervém no funcionamento da glândula tiróide.

– Contém uma boa concentração de vitaminas lipossolúveis (solúveis em gorduras) e em vitaminas hidrossolúveis (solúveis em água). Resumidamente, debrucemo-nos sobre – apenas – algumas delas:

  • Vitamina A, que regenera as células e é fundamental para a visão;
  • Vitamina D, que regula a assimilação de cálcio (contra o raquitismo) e fósforo;
  • Complexo B, que fortalece o sistema nervoso, auxilia no crescimento e bom estado das unhas, pele e visão, estimula o apetite, proporciona a transformação dos alimentos em energia, a manutenção muscular;

O peixe e o marisco inserem-se no grupo do pescado.

O marisco compreende os crustáceos (camarão, lagosta e caranguejo) e os moluscos (lula, polvo, amêijoa, berbigão). Estas espécies de pescado têm uma menor quantidade de proteínas e uma maior quantidade de colesterol do que o peixe.

O consumo de peixe é passível de uma panóplia de formas de preparação: desde o peixe cru, cozido, grelhado, assado, frito e panado.

Fresco, cozinha-se rapidamente. Pode ser adquirido em conserva, enlatado; congelado; salgado, como o bacalhau, e defumado como o arenque ou o salmão.

A sua variedade, o paladar único e a criatividade do cozinheiro afastam qualquer panorama de monotonia ou de rotina alimentar.

Etiquetas: benefícios do consumo de peixe, coração, dieta, função do peixe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.