Nós usamos cookies para melhorar o nosso serviço. Ao usar o Em Forma, está a consentir à utilização de cookies. Aceitar Saber mais


Como Melhorar a Actividade Fibrinolítica

Dá-se o nome de fibrinólise ao processo fisiológico complexo que consiste na desagregação e dissolução progressiva dos coágulos sanguíneos do nosso organismo.

Este é um processo normal desenvolvido através da degradação e da dissolução da fibrina sob a acção de uma enzima chamada de fibrinolisina.

A fibrinólise insere-se num processo mais amplo, chamado de hemostático, o qual implica uma série de mecanismos que envolvem a interacção entre as proteínas, as respostas celulares complexas e a regulação do fluxo sanguíneo, sendo a fibrinólise um desses processos.

É graças a este mecanismo que se dá a eliminação dos resíduos da fibrina da circulação sanguínea, promovendo-se assim a repermeabilização dos vasos obstruídos pelos coágulos da fibrina.

[-] Índice de conteúdos

Funcionamento da Fibrinólise

A fibrinólise tem parte ativa na desagregação e na dissolução da fibrina, que se dá através da plasmina. Assim, a plasmina acaba por agir directamente contra a fibrina, sendo assim que os coágulos sanguíneos são aniquilados.

A plasmina também é uma enzima ativa, mas esta produzida a partir do plasminogénio que hidrolisa a fibrina em fragmentos, e que, além disso, também hidrolisa outros elementos que são fatores de coagulação como, por exemplo, o fibrinogénio. Os coágulos sanguíneos são assim  formados por fibrina.

A fibrina é constituída por proteínas filamentosas que são produzidas pelo fígado e que se encontram contidas no sangue. Através da ação da plasmina, estas proteínas entram no processo fisiológico de coagulação do sangue, sendo que a plasmina é o resultado da hidrólise do plasminogénio. Além disso, esta proteína também é produzida pelo fígado e constitui a forma ativa do plasminogénio, igualmente produzido pelo fígado.

O tissue-plasminogen activator (t-PA), é libertado por determinadas células do nosso organismo, sendo este o elemento que vai ativar a transformação do plasminogénio em plasmina. A libertação destes t-PA é estimulada pelos depósitos de fibrina e de trombina, existentes no nosso organismo.

Existem alguns inibidores endógenos do t-PA que provocam a redução da transformação do plasminogénio em plasmina, diminuir desta forma a actividade fibrinolítica.

Objectivos da Fibrinólise

Por diminuir a quantidade de fibrina no sangue, a fibrinólise protege o nosso organismo contra os riscos de trombose, sendo que uma trombose é o resultado da formação de um coágulo sanguíneo numa veia, numa artéria, ou numa das cavidades do coração.

a fibrinólise protege o nosso organismo contra os riscos de trombose (Autor: Jina Lee)

a fibrinólise protege o nosso organismo contra os riscos de trombose (Autor: Jina Lee)

Quando ocorre uma ferida, após ocorrer a sua cicatrização, a fibrinólise ajuda a destruir o coágulo sanguíneo que tinha inicialmente impedido a hemorragia. Já nos casos de doenças hepáticas, tais como a cirrose ou outras patologias relacionadas com a coagulação sanguínea, o sistema fibrinolítico pode se acentuar, levando à ocorrência de hemorragias que por vezes se tornam difíceis de controlar.

A descoberta e o estudo de todos estes processos passaram a desempenhar uma importância crucial para que fosse mais fácil começar a entender a fisiologia da hemostasia e o papel das reacções hemostáticas nos casos das doenças hemorrágicas e de tromboses.

O processo da fibrinólise é o estágio correspondente à etapa que conclui a coagulação sanguínea e que permite a repermeabilização dos vasos sanguíneos obstruídos por coágulos de fibrina.

Podemos assim dizer que o sistema fibrinolítico consiste na destruição dos coágulos intravasculares que se podem formar, mesmo assim sem provocar hemorragias através da dissolução de coágulos hemostáticos e do fibrinogénio em condições normais.

Portanto, a fibrinólise é, no fundo, um processo fisiológico que protege o nosso organismo do risco de doenças relacionadas com problemas sanguíneos. Muitas vezes, a fibrinólise é até mesmo utilizada de forma terapêutica para prevenir determinadas doenças tais como embolias pulmonares e enfartes do miocárdio.

Uma das formas mais importantes de se conseguir um aumento da atividade coagulante através da fibrinólise é a prática de exercícios físicos mais consistentes.

Avalia este conteúdo
3.9/5 (8 votos)
Etiquetas: como melhorar a actividade fibrinolítica, coração, enfarte, exercícios físicos, funcionamento da fibrinólise, objectivos da fibrinólise

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.