L-Treonina

A L-Treonina é um dos vinte aminoácidos que são codificados pelo código genético, ou seja, são um dos componentes das proteínas dos seres vivos.

Este aminoácido possui dois centros assimétricos, nos carbonos 2 e 3, sendo que a configuração do carbono 2 é S e a do carbono 3 é R.

A treonina é o mais abundante dos aminoácidos essenciais à proteína imunoglobulínica.

Após alguns estudos e experiências, demonstrou-se em suínos em crescimento e em marrãs gestantes, que uma dieta deficiente em treonina resulta numa baixa concentração plasmática de IgG.

Além disso, existem também evidências experimentais que provam que a treonina está relacionada com a manutenção da imunidade específica da parede intestinal.

A treonina é ainda um aminoácido que contém álcool que não pode ser produzido pelo organismo, necessitando assim ser consumida na dieta.

A treonina desempenha ainda um papel importante, junto com a glicina e a serina, no metabolismo da porfirina.

No nosso organismo, a treonina representa cerca de 4 por cento dos aminoácidos aí existentes.

Um dos alimentos onde podemos encontrar uma maior quantidade de treonina é o ovo.

[-] Índice de conteúdos

Metabolismo da L-Treonina

Apesar de ser um aminoácido essencial, a treonina não é biosintetisada no organismo dos animais. No caso de um humano adulto do sexo masculino, a sua necessidade diária é de 7mg de treonina por cada quilograma de peso corporal.

O principal curso no catabolismo da treonina é a via da aminoacetona, sendo que a ação da desidrogenase sobre a treonina produz o ácido a-amino-ß-cetobutírico, um intermediário instável que envolve a formação de aminoacetona através da descarboxilação e do subsequente catabolismo em ácido pirúvico.

Estrutura da L-Treonina (Autor: Imagem em domínio público)

Estrutura da L-Treonina (Autor: Imagem em domínio público)

Existe ainda uma outra via envolvida no catabolismo da treonina que é sua conversão em ácido a-cetobutírico através da serina desidratase e da treonina desidratase específica.

Além disso, a treonina desempenha um papel importante como um precursor de aminoácidos não essenciais, sendo que forma a glicina sob a ação da treonina aldolase. Quanto à serina, esta é formada a partir da glicina.

Após a realização de várias experiências em que foram usados animais alimentados com proteína de cereais, chegou-se à conclusão que a treonina é o segundo aminoácido limitante depois da lisina.

Os níveis de treonina presente nos cereais são consideravelmente altos. No entanto, apesar disso,a sua absorção no trato digestivo é fraca e a biodisponibilidade é muito baixa. Isso acontece porque a sua ligação peptídica na proteína não é facilmente hidrolisada.

Usos da L-Treonina

Além adição do uso habitual deste aminoácido na nutrição clínica como componente da nutrição enteral e parenteral, a L-treonina é também usada em produtos alimentícios, como é o caso dos alimentos e bebidas para a saúde, além de ser usada também como flavorizante.

Outro uso dado frequentemente à treonina é a síntese de vários produtos farmacêuticos. Além disso, todos os anos, um pouco por todo o mundo, várias dezenas de milhares de toneladas deste aminoácido são consumidas para a fabricação de ração animal principalmente para frangos e porcos.

Na verdade, o uso de L-treonina permite aos nutricionistas formular rações para aves, com o objetivo de reduzir o custo de formulação com a redução da quantidade de proteínas, melhorando assim a eficiência alimentar na produção com o equilíbrio ideal dos aminoácidos e ainda melhorando a qualidade do produto.

Além disso, com o aumento da sua diponibilidade no mercado e com a redução do seu preço, a L-treonina permite uma maior flexibilidade nas formulações das rações para aves, permitindo assim um perfil mais equilibrado dos aminoácidos.

Segundo os estudos que têm vindo a ser realizados nos últimos anos, o uso da treonina é especialmente importante no desenvolvimento da carcaça dos frangos, sendo que a quantidade ideal varia entre os 0,68% e os 0,80%. Com estas quantidades, normalmente a carne do peito tem um desenvolvimento bastante superior. No caso da dietas com uma percentagem inferior 0,60% de treonina, essas são consideradas dietas deficientes.



Avalia este artigo
Credibilidade (9.81 em 20 - 26 votos
Qualidade (12.22 em 20 - 18 votos
Profundidade (12.24 em 20 - 17 votos
Imparcialidade (9.57 em 20 - 14 votos

Avaliação geral para o post L-Treonina é 2 em 5. No total foram submetidas 75 avaliações, e a última foi em 2015-07-30.
Partilha!Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on Tumblr0Share on LinkedIn0Share on Reddit0

Não Encontrou o Que Estava Procurando? Tente o Google!

Custom Search

O Em Forma é um portal informativo e pioneiro na cultura do bem-estar e saúde. Acompanha as últimas notícias, artigos e opiniões de profissionais na área e descobre como viver com mais qualidade e saúde.

O blog de Em Forma pode ser encontrado em http://www.emforma.net/.

Marcado com: , ,
Publicado em Aminoácidos, Nutrição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Forum
Acede ao forum de discussão do Em Forma e discute novos tópicos e descobre novos temas.
Procurar
Parceiros
Acerca
O Em Forma é o guia online do bem-estar. Promovemos a bem-estar, saúde e a prática de exercício físico. Diariamente são colocados novos conteúdos na área de saúde, desporto, nutrição, musculação e opinião.
Acompanha o Em Forma
Em Forma no Facebook


Criar artigo
Ajude o EmForma.net a expandir a sua base de conhecimento. Contamos com a sua ajuda!

Criar artigo